REALCES

blog

Serenamente

A minha participação no Realces com a missão dos anfíbios focar-se-á sempre na tentativa de projectar o leitor a ver estes animais com admiração. Neste post em particular, para além da beleza da espécie retratada, procuro mostrar como dum habitat mais perturbado por desportos motorizados, é possível fazer imagens com interesse. Nesta imagem é perceptível os trilhos e rasgos na zona arenosa e charcos rasos, sendo imperceptível as perturbações causadas nos charcos mais profundos.

Estes charcos são na primavera inundados de ovos e girinos, e com o avançar da estação é possível ir acompanhando o desenvolvimento das várias espécies de anfíbios que por aqui coexistem. Apesar das repetidas chuvas tardias deste ano, o solo é bastante permeável e o tempo que os girinos têm para passar para a fase terrestre é diminuto, passando algumas das charcas com pouco mais de 5 centímetros de profundidade a depressões ressequidas. 

É então fácil encontrar inúmeros pequenos sapos-corredores a tentarem esconder-se por baixo das lascas do solo, ou de vegetação. São bastante pequenos, não medindo mais de 3 centímetros, e ao aproximar-me lentamente é fácil perceber os padrões fantásticos que exibem tanto na pele, como nos olhos.

Na imagem anterior, um pequeno sapo-corredor olha para mim com curiosidade, enquanto outro mais atrás se mostra indiferente ao que se passa, confiando na sua capacidade de camuflagem nesta zona arenosa.

A verdade é que também eu, com o avançar deste trabalho, me mostro cada vez mais ligado e um admirador destes animais... Da indispensável procura por charcos rasos para porem os seus ovos, para depois saírem o mais cedo possível devido à inevitável seca destes, confiando apenas na sua capacidade de camuflagem e fuga para evitarem ser alimento para algum predador. Ainda assim, passeiam-se serenamente sobre as areias e sob as plantas, como que indiferentes a toda a agitação do seu ciclo de vida.

Projecto Realces